FAVI – Fundação Amigos do Vale do Aço de Ipatinga

Vidas em sonho e realidade

Siomar Queiroga da Silva Curadora - FAVI
Siomar Queiroga da Silva
Curadora – FAVI

A noite se punha e a família se encontrava depois de uma jornada de trabalho exaustiva em uma oficina de conserto de aparelhos eletroeletrônicos. O que fazer, as conversas giravam em torno dos acontecimentos do dia, todos tinham algo novo pra contar, também pudera trabalhavam todos juntos, filhos, marido e esposa. O patriarca criou a família assim, unidos em todos os momentos de alegria e de tristezas é como se um sustentasse o outro. Como era bom, ríamos de tudo que era inventado. Nosso Magaiver por aqui tem um nome de Marcos Constâncio o criador da TV Caravelas. Sobre um imenso terraço no meio de livros e outras bagatelas ele elaborou um circuito e com um pedaço de antena dependurada no telhado, um vídeo cassete e algumas fitas começou a exibir filmes,aos quais nossos vizinhos mais próximos começaram a assistir e gostar da ideia. Nosso personagem principal dono do evento empolgou e logo chamou seu filho mais velho também técnico nessa área Marcus Vinicius para que o ajudasse nesse projeto.

As noites seguiam sempre com os dois personagens em seus inventos aperfeiçoando seus circuitos e eu ficava só olhando sem entender nada. Colegas de trabalho vinham e os entusiasmavam mais para que se tornasse algo concreto para o futuro, alguns chegavam a dizer que eram gênios e vários nomes foram dados para aquela engenhoca, até que um dia nosso Magaiver disse: vou fazer uma TV de verdade, onde toda a família possa assistir sem ter que mudar de canal por causa da censura. Foi quando arrumamos um outro terraço cheio de areia e num cantinho no meio de uma caixa d’água fizemos nossa primeira transmissão com uma entrevista a uma vereadora amiga, que topou ir mesmo sabendo das condições em todos os sentidos. Há, não posso esquecer de onde surgiu o nome Caravelas, tinha que mandar pintar uma faixa e aí? Marcos logo lembrou do descobrimento do Brasil Cabral veio nas três caravelas, Santa Maria,Pinta e Nina, tai o nome, TV CARAVELAS descobrindo um novo jeito de fazer televisão.

Nossa transmissão foi um sucesso estávamos no canal 7, sem licença para operar mas continuamos. A princípio nossa programação era mais filmes, todos selecionados, nada demais Caminhamos assim nos informando com pessoas do ramo, pesquisando como legalizar uma TV. Gente,vocês não imaginam o sufoco, sem dinheiro quanta coisa tinha que arrumar, que loucura, papéis e mais papéis, nada nos desanimou, criamos primeiro uma fundação, foi feito um estatuto tudo dentro das normas legais, dinheiro para registro, xérox e outras coisas mais saiu tudo daqui, não sei como só mesmo milagre, mas fervorosos a Nossa Senhora Aparecida ela nunca nos desamparou e nunca nada nos faltou. Entramos de peito aberto com garra e devagarzinho estamos tirando as pedras que surgem em nosso caminho. Um projeto foi feito por um engenheiro de Cascavel, Paraná pedindo licença a Anatel para operarmos legalmente. Esse processo tramitou em Brasília por longos anos até que foi arquivado por falta de interesse político. E nós? Desistimos? Não! Isso nos deu mais força, não somos tubarões, não temos prestígios, mas temos vontade de trabalhar, de fazer acontecer e provar pra A e B que tudo é possível, quando crê e persiste a coisa acontece.

Ficamos dois anos com nossa programação a noite, tínhamos vários programas de entrevistas, entretenimento e cultural nossa audiência estava lá cima, tínhamos vários parceiros, empresários, pessoas influentes na sociedade, Polícia Militar e outras mais. Aqui conseguimos várias pessoas que voluntariamente nos ajudavam em nosso trabalho e que acreditavam no sucesso desse empreendimento, assim se passaram oito anos de luta, até que descobrimos que a Fundação Amigos do Vale do Aço FAVI ela tinha direito de adquirir um canal comunitário, totalmente gratuito em canal fechado. Foi aí que meus filhos Antonio Marcos e Marcus Vinícius empenharam indo várias vezes a BH na busca dessa conquista.

Foi aí que TV foi tirada do ar para não atrapalhar o processo que corria na ANATEL. No dia 10 de agosto de 2009 a licença tão esperada saiu e hoje trabalhamos com tranqüilidade licenciados e batalhamos ainda por um canal aberto. Por aqui tudo é muito simples, mas com profissionalismo vamos conquistando os telespectadores e a comunidade local. Continuamos sozinhos sem apoio de políticos do município, do estado e federal. Apesar da Fundação ser reconhecida como utilidade pública, nada até hoje conseguimos, documentos e processos já foram colocados na tentativa de conseguir verbas para equipar a TV. A Fundação como mantenedora da TV vai caminhando a passos lentos, estamos terminando de pagar o link no valor de 35 mil, divididos em quinze prestações no mês de setembro terminamos e vamos contrair mais uma dívida em outro equipamento que se fizer necessário.

O caminho até aqui foi de muita luta, sacrifício, noites mal dormidas, preocupações, mas estamos vencendo, e mais gratificante de tudo isso é o carinho e a amizade que encontramos em todos os voluntários, apresentadores e convidados que por aqui passam. Sinto que a minha família aumentou pois todos fazem parte dela como costumamos dizer “família da TV Caravelas” e carinhosamente me chamam de vovó Sissi. A todos eu peço que a Virgem Mãe Santíssima os abençoem e em futuro bem próspero possamos tê-los com um salário digno em uma emissora que gerará muitos empregos para aqueles que realmente necessitam. Obrigada a todos e acreditem a cada dia descobriremos um novo jeito de fazer televisão.

Siomar Queiroga Fundadora Ipatinga 28/07/2010

 

 

Marcus Vinicius Presidente Curador – FAVI

No conforto do Lar, o telespectador assiste ao seu programa preferido. Está tudo bem a sua frente, basta acionar o controle remoto. Sons e imagens, o mundo mágico da TV. O que a maioria não conhece deste mundo é o que está, nos bastidores… São profissionais das mais diversas áreas, utilizando equipamentos de última geração.

 

Assistir televisão é fácil, “fazer” televisão é uma tarefa árdua, porém, quando se faz com amor, carinho e dedicação, se tornam prazerosa. Com Fé em Deus, temos certeza, que nós, da Fundação FAVI, estamos no caminho certo, procurando sempre, fazer uma televisão família, voltada para o social, educativo e comunitário, pois a cada dia estamos DESCOBRINDO UM NOVO JEITO DE FAZER TELEVISÃO..

 

 

Fundador: Marcos Constâncio da Silva

Presidente de Honra: Antônio Marcos Queiroga ( In Memorian )

Presidente Curador: Marcus Vinícius Queiroga da Silva

Vice Presidente Curador: Marcos Constâncio da Silva

Curadora: Siomar Queiroga da Silva

Vogal Curador: Luis Oliveira dos Reis

Diretor Administrativo: Sebastião Alves

Diretora financeira: Sueli Alves Andrade

Diretor operacional: Dalmácio Ferreira Neves

Fiscal presidente: Ademilson Andrade Lima

Diretor artístico: José Rodrigues

Diretora de jornalismo: Bruna Ribeiro

Acessor de comunicação e imprensa: Luiz Omar Magalhães

Diretor Comercial: Alisson Almeida Monteiro

 

Objetivos da FAVI

a) programar, planejar, realizar e divulgar projetos sociais de interesses da comunidade da região, em especial aqueles voltados para as pessoas idosas, crianças, grupos de mães, portadores de deficiências físicas, população de baixa renda, etc.;

b) criar, manter e administrar atividades e programas de serviços à cultura e a educação, através de canais próprios de radiodifusão cultural e educacional, sem finalidades comerciais, tendo como objetivo prioritário os interesses comunitários, especialmente aqueles citados na letra anterior;

c) programar e executar serviços especiais de retransmissão ou distribuição de sinais de rádio e ou televisão em regime simultâneo ou misto, atendendo os objetivos de implantação de serviços comunitários informativos e de programas de interesse da comunidade;

d) executar serviços de radiodifusão de sons e imagens, com fins educativos e ou culturais;

e) promover iniciativas e campanhas de cunho social-beneficente com a colaboração de entidades de programação e assistência social;

f) fundar, manter e ou administrar entidades, obras de serviços, centro de cultura, museus, bibliotecas e centros de lazer, incentivando a expansão da cultura, artes e educação;

g) fundar, administrar e manter creches, bem como cursos e escolas de todos os graus e, ainda, instituir e conceder bolsas de estudos e estágios;

h) instituir cursos de formação profissional nas diversas áreas da radiodifusão, utilizando-se das instalações da Fundação ou de terceiros;

i) patrocinar e divulgar eventos culturais, como exposições, festivais de artes, espetáculos teatrais, de dança, de música, de ópera, de circo e atividades congêneres, visando sempre a manutenção dos valores culturais da região;

j) preservar o folclore e as tradições populares da região, bem como patrocinar as manifestações culturais e folclóricas sem fins lucrativos;

k) estabelecer contratos com emissoras de radiodifusão com o propósito de produzir programas culturais informativos e educativos;

l) criar, redigir e imprimir revistas, livros e jornais para o apoio e divulgação de suas atividades e incentivar as artes gráficas em geral;

m) estimular e apoiar pesquisas, planos e projetos em toda as áreas de conhecimento e da cultura; como fotografia, artesanato, artes plásticas e ciências;

n) prestar serviços a terceiros, sempre tendo em vista os objetivos e finalidades da Fundação;

o) produzir, vender e distribuir livros, cadernos, revistas, monografias, filmes, vídeo e áudio-cassetes, discos e teses que versem sobre cultura, educação, desporto e ação comunitária;

p) apoiar, patrocinar e promover as atividades esportivas ou de diversão ligadas ao interesse comunitário e a divulgação dos valores regionais;

q) patrocinar e colaborar com a preservação do patrimônio histórico, artístico, paisagístico, cultural e ecológico da região;

r) atuar na área de tecnologia, telecomunicações e informática, trabalhando na implementação de softwares livres, serviços no geral, treinamento, inclusão digital e cidade digital, bem como na área de segurança em redes públicas de prefeituras, secretarias e governo;

s) implementar, dar suporte e treinar profissionais de órgãos públicos, secretárias e governo dentro da área de tecnologia, telecomunicações e informática;

t) prestar serviços na área de captação de recursos frente ao Governo Federal para órgãos públicos.

Apoio Cultural

apoio cultural
Molduraco Ipatinga